BlogBlogs.Com.Br

Não quero envelhecer!

Nos últimos tempos, tenho aprendido a escrever e a gostar de escrever, muitas vezes até escrevendo sem saber o que escrever, só Freud explica....risos...
An ordered list

ENCONTRO NO CAMINHO

UM ENCONTRO ONDE SOMOS CONVIDADOS A SEGUIR O EXEMPLO DE JESUS, INCLUINDO OS EXCLUIDOS, OS FRACOS E VULNERAVÉIS, A CONFRONTAR A HIPOCRISIA E A GANÂNCIA, E A OBEDECER O MAIOR DE TODOS OS MANDAMENTOS AMAR O PRÓXIMO COMO A NOS MESMOS.
Encontro no caminho

POR FAVOR NÃO ALIMENTE OS ANIMAIS





Por Marcio de Souza

Chega de dar dinheiro para os mercadores da fé. Não dê mais um tostão. Nada... nem dízimo, nem nada. Vou te dar alguns motivos para que você pare de alimentar os animais.

1- Com seu dinheiro suado, Malacheia comprou um espaço monstruoso onde realizou seu "sonho" de ter um mega telemarketing para sua rede de inutilidades. Valor apenas do terreno R$4.500.000,00.
2- Com a oferta da viúva pobre o missionário da graça comprou um avião de R$8.600.000,00.
3- Com a aposentadoria e pensão dos idosos, Pedir Maiscedo comprou recentemente uma mansão avaliada em R$6.000.000,00, fora a sua humilde rede de tv, e outros negócios que oficialmente não lhe pertencem.
4- Contando com a cegueira dos seus "nobres" o Paióstulo quer construir um templo megalomaníaco que custará uma pequena bagatela de R$8.000.000,00
5- Com a grana que você trabalhador honesto coloca no gasofilácio desses impostores, eles patrocinam seus luxos, comem nos melhores restaurantes, viajam o mundo inteiro, andam nos mlhores carros e tem as maiores contas bancárias, enquanto o povo que frequenta a igreja deles chafurda a cara na lama e gente aqui fora que precisa de auxílio, morre de fome ou come lixo pra sobreviver.

Não oferte mais para esse caras, eles não prestam pra administrar seu dinheiro. Procure uma missão idônea, uma igreja séria, uma obra social e invista sua generosidade nisso. O apelo não é para que você pare de dar, mas para que você canalize seu recurso para o lugar certo.

Seja lá como for, eu lanço hoje aqui a campanha "Por favor não alimente os animais" que visa secar a fonte desses inescrupulosos ratos de igreja. Venha aderir a campanha, multiplique esse post a vontade, de RT nele, poste no seu blog. O importante é que você possa contribuir para pelo menos diminuir em alguns milhares de reais o patrimônio desses descarados.

E no mais, tudo na mais santa paz!

30 de nov de 2009

O REINO DOS EXCLUIDOS



Por Marcio Alves

Durante muito tempo, interpretei o sermão da montanha, mais precisamente, as bem-aventuranças como virtudes para se alcançar nesta vida.

Lia com as lentes que me eram dadas, pelos doutores da teologia.

Encarava as beatitudes – assim também chamadas – como regras, preceitos, normas e comportamentos descritos para qualquer cristão que quisesse, entrar no Reino dos céus.

Como por exemplo, o celebre John stott que disse:
“As bem-aventuranças descrevem o caráter equilibrado e diversificado do povo cristão...”
“....As bem-aventuranças são especificações dadas pelo próprio Cristo quanto ao que cada cristão deveria ser.”

Martyn Lloyd Jones interpretando “os pobres de espírito” das bem-aventuranças diz:
“Necessariamente, essa (pobre de espírito) é a primeira das bem-aventuranças devido à excelente razão que ninguém pode entrar no reino de Deus a menos que seja possuidor desta qualidade.”

Enfim, centenas de outras interpretações do cristianismo histórico, seguem a mesma linha de coerência.
Ou seja, não há duvidas sobre as bem-aventuranças, é algo homogêneo e unânime na cristandade.

Só tem um problema, é que eu decidi não mais ler as escrituras com as lentes que me são dadas.

Mas sim, pensar livremente.

Hoje, já não mais concordo com essas interpretações históricas – digo isto, com muito respeito aos grandes vultos do cristianismo, que prestaram o grande favor ao Reino de Deus.

Eis algumas razões:

1- Contexto gramatical.
Quem disse que o sermão da montanha começa no capítulo cinco de Mateus?
A bíblia originalmente, não possui divisões de capítulos e versículos.
Foi o Prof. Stephen Langton que, no ano de 1227 dC a dividiu em capítulos, para facilitar a sua leitura e localização.
Já os versículos, foram organizados, no ano de 1551 dc, pelo Sr. Robert Stephanus

Fazendo uma acurada e minuciosa investigação, o texto do sermão da montanha, não começa no capítulo cinco, mas provavelmente no capitulo quatro e versículo vinte e três, que diz:

“E percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas suas sinagogas e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo.

E a sua fama correu por toda a Síria, e traziam-lhe todos os que padeciam, acometidos de várias enfermidades e tormentos, os endemoninhados, os lunáticos, e os paralíticos, e ele os curava.

E seguia-o uma grande multidão da Galiléia, de Decápolis, de Jerusalém, da Judéia, e de além do Jordão.” (Mt 4 v 23 – 25)


2- Contexto Histórico.
Dizem os historiadores que, na época de Jesus, o povo pobre era massacrado e oprimido pelo império Romano.
As pessoas as quais, Jesus se dirige, são indefesos, injustiçados e perseguidos.

Portanto, ouso re-interpretar o sermão da montanha, dizendo:

Pobres de espírito:
Não são – como gostaríamos que fossem – nós, humildes espirituais.
Mas sim, pessoas desprovidas de inteligência, pobres materiais que vivem mendigando para sobreviver.

Os que choram:
Não são aqueles sensíveis espirituais, dependentes de Deus, mas antes, os oprimidos que choram pelas injustiças e dramas humanos.

Os mansos:
Não são os que têm o temperamento controlado pelo Espírito Santo, mas antes, os dominados pelos sistemas de poder, que são esmagados. Que não conseguem reagir, não tem forças para lutar e reverter a situação.

Os que têm fome e sede de Justiça:
Não somos nós, pessoas boas que sofrem – ou pelo menos tenta sofrer – a dor do outro, mas antes, os que sofreram injustiças nesta vida. Por exemplo, a mãe que perdeu seu filho, o desgraçado na África, que não tem o que comer em um mundo de Bilionários, os doentes terminais que mal são atendidos nos hospitais.

Misericordiosos:
São pessoas que ajudam as outras naquilo que ela mesma perdeu (sofreu).
São pessoas miseráveis que tem um coração (daí a expressão, “miseri” + “cordia”) generoso para com os desgraçados.

Limpos de coração:
Não são pessoas santas, seguindo um padrão de perfeição moral que é ditado em formas de regras pela igreja.
Mas antes, as pessoas ingênuas, bobas e simples que, muitas vezes são facilmente enganadas e passadas para trás.

Pacificadores:
São os que desejam a paz, odeia as brigas e guerras.

Os que sofrem perseguições:
Enfim, o sofrer perseguição, resume bem as bem aventuranças.

Pensem comigo.........Quem são os pobres de espírito, os que choram, os mansos, os que têm fome e sede de justiça, misericordiosos, limpos de coração, pacificadores, os que sofrem perseguições, descritos por Jesus?

Quem no mundo que vivemos, sofre mais o drama humano?

A grande boa nova deste texto é que:

“Essas descrições da bem aventurança, não são de virtudes que devemos almejar ou alcançar, mas de pessoas que foram esmagadas pela vida.

Essas pessoas não são do Reino de Deus por serem assim, mas apesar de serem assim.
Ninguém precisa desejar sofrer, como se houvesse virtude no sofrimento, mas apesar de sofrerem são amadas por Deus e bem vindas no seu Reino.”

Por isso é que Jesus disse:
“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça” (Mt 6 v 33)

Buscar o Reino, não é programações da igreja:

Evangelizar (leia-se, fazer proselitismo), dar dízimos e ofertas, participar de campanhas, trabalhar na “obra”, ter cargos ministeriais – ou seja, ativismo religioso, não é a essência do Reino.

Mas pasmem – os evangélicos mais conservadores – o Reino de Deus é feito por, de e para as pessoas.

Buscar o Reino é ajudar o oprimido e necessitado.
Que tem que ser acompanhado por justiça.
Pois não há paz, sem justiça.

Justiça!
Essa é a prioridade do Reino de Deus.

Aliás, não somente o Reino de Deus é um reino de pessoas, mas o próprio Rei deste Reino é visto nas pessoas pobres e oprimidas.

“E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” (Mt 25 v 40)

Pois a religião de Jesus, não é confessional – como bem expressou o Gresder: “Não são palavras mágicas na hora de morrer, não são senhas bíblicas e evangélicas que a pessoa fala com a boca.” – mas de praticidade:

Religião dos evangélicos (confessional):
“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus” (Mt 7 v 21)


Religião de Jesus (prática):
“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica” (Mt 7 v 24)

“Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas.” (Mt 7 v 12)


Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.

24 de nov de 2009

SIMPLESMENTE EU...




Há dias em que me pego pensando sobre minha fé, meu jeito de viver e encarar a vida, meus amigos, minha família, o que já vivi e o que espero viver, enfim o todo...e isso tudo se embola em minha mente, e ai corro pra ler e ler (vicio declarado, tenho outros e como tenho... não sou nenhum puritano...) pra ver se encontro alguma definição para isso. Acho alguma coisa, mas nada que me satisfaça completamente as minhas inquietações, mas já fico feliz com o que encontrei e agradeço a Deus por aqueles que escreveram o poema ou a reflexão.

Mas tenho entendido, ou pelo menos estou tentando compreender, que algumas coisas em mim, nunca terão respostas suficientemente satisfatórias no sentido de zerar minhas inquietações, coisas que não sou único a te-las, prova disso é que o Apóstolo Paulo pede para o Senhor, tirar o tal espinho na carne que ele tinha, e a resposta do Senhor, foi no mínimo para gerar outras inquietações, dizendo a ele: Minha graça te basta... palavra essa que até nos dias de hoje, tem muita gente se remoendo com isso.

Gostaria de ser um cara todo resolvido como pai, marido, empresário (esse aqui vou te falar uma coisa...risos), amigo, ser humano, minha fé (no sentido de me ajustar a que modelo de fé), só consigo estar resolvido em uma coisa em Jesus Cristo, como diz Dostoievski "Se alguém me provasse que Cristo não estava na verdade [...] então eu preferiria permanecer com Cristo a permanecer com a verdade".

Não sou ingênuo de pensar que, somente estar resolvido em minha fé em Cristo, todas as outras coisas estarão resolvidas, como diz um grande amigo que tenho “passei dessa fase...”, hoje compreendo que tenho por minhas próprias pernas, caminhar no sentido de me resolver, de achar respostas as minhas inquietações, de procurar dentro de mim o que não pode ser encontrado fora de mim.

Já teve um tempo, em que procurei nas igrejas, púlbitos, em ofertas, em ministérios, em anos proféticos, e tudo o que você imaginar de “evangeliquez”, eu já provei, para encontrar as tais respostas, tudo em vão, longos anos perdidos na doce ilusão que encontraria.

Sabe isso me faz lembrar que vivi, aquelas histórias de criança, o pirata com o mapa do tesouro na mão, em que indo para tal ilha, chegando lá dando setenta passos em direção a montanha, quando encontrar o coqueiro, dois passos a direita, chegando em uma pedra...o mapa está rasgado precisando da outra metade para chegar ao tesouro...Ou seja nunca vou chegar a lugar algum.

Prefiro viver hoje com minhas inquietações, perguntas, até porque é mais barato (tenho sangue de turco) do que viver do jeito que vivia, pagando muito caro para não ter resposta alguma.
E quando falo pagando caro, não é só dinheiro, é vida como todo.

Hoje sou um homem que tenta todos os dias...
Ser um pai melhor, por isso minhas filhas tenham paciência com o papai aqui...
Ser um marido melhor, minha esposa, minha vida, você sim se supera todos os dias, te amo pra sempre...
Ser um filho melhor, meu pai e minha mamãe perdoem esse filhão aqui...
Ser um irmão melhor, meus irmãos temos muito a aprender uns com os outros...
Ser um amigo melhor, nossa quantos verdadeiros amigos...

Esse homem sou eu... tropego neste caminho, hora em pé, hora tropeçando, mas agora certo de que caminho, não sob a tutela ou direção (a tal cobertura espiritual) de um louco que se diz: profeta, apostolo ou sob qualquer outro titulo, caminho no caminho que é Jesus e com a única certeza que tenho, quero me distanciar não das pessoas, mas de toda religião ou religiosidade.

E quem sabe um dia todas as minhas inquietações terão suas respostas...ou quem sabe é para que eu viva, com a mesma resposta que o apostolo Paulo teve....

A minha graça te basta...

E eu digo: amém Senhor!

Olavo Jr
19 de nov de 2009

PARO OU NÃO????



Vez ou outra recebo e-mails, de pessoas que ao analizar os meus textos que posto aqui no blog, me pedem para não publicar mais nada por aqui, porque não falo e inspiro as pessoas irem a “i”greja, não falo para as pessoas fazerem campanhas de oração, não falo para entregarem seus dizinhos e ofertas, não falo para respeitarem os pseudos “apóstolos”, não falo para desejarem alcançarem postos, funções dentro das “i”grejas, não falo para acreditarem nestes loucos que dizem pregar o evangelho, aliás que evangelho? Com certeza não é o de Cristo.


Já tentaram me convencer que estou errado, e que deveria sim me arrepender e mais voltar quem sabe a ser quem eu era.


Então para aqueles que ainda acreditavam que este aqui que vos escreve, vai apoiar, vai se juntar a essa corja de gente que só sabe enganar, manipular, que este que vos escreve vai voltar ao sistema religioso perverso, a institucionalização da fé, vai voltar a ser quem era, podem tirar o cavalinho da chuva, porque como já disse em outro post “não volto mais” e jamais apoiarei ou colocarei neste blog alguma coisa que seja contrário ao verdadeiro evangelho de Cristo.


Por isso que falo sem medo de errar, “não mais sou evangélico, graças a Deus”. Porque ser evangélico, é ser comparado com essa “coisa”, esse monstro que criaram de tantas distorções que colocaram no evangelho de Cristo, transformando-o em um outro evangelho, o evangelho dos evangélicos, e que habita na grande maioria das “i”grejas, e que portanto não quero me associar com mais nada disso.


Então gente boa de Deus, vou continuar, não vou parar...e como já dizia minha vozinha: “os incomodados é que se mudem”.


Vou continuar em minhas denuncias por aqui, não sei se vai adiantar, também não estou preocupado em transformar nada e ninguém, mas fico aqui na defesa de que o evangelho continue sendo o evangelho que o nosso mestre Jesus deixou.


Não gostou do que leu? Vou fazer o que? Posso te dar uma sugestão, vai ler o blog do bi$po, porque lá tem historinha pra boi dormir ou melhor pra evangélico nana!!!


Sempre no caminho


Olavo

9 de nov de 2009

Eu apoio a (verdadeira) Marcha para Jesus e participo dela




Mais uma passeata do povo evangélico (ou boa parte dele), intitulada Marcha para Jesus, aconteceu na cidade de São Paulo. O evento ocorre todos os anos e é um grande ajuntamento (cada vez maior) de pessoas em torno de celebridades do mundo evangélico. Trata-se de uma passeata-show ou de um show em movimento, com gritos, pulos, danças, música gospel, atos “proféticos”, protestos, mas pouca ou quase nenhuma evangelização.

Antes que algum fã dos organizadores da tal marcha fique bravo, quero que todos os leitores saibam que eu apoio a Marcha para Jesus e até participo dela! Isso mesmo!

Mas é claro que eu não não estou de acordo com passeatas lideradas por enganadores que supervalorizam interesses pessoais, fama e dinheiro. Eu apoio a verdadeira Marcha para Jesus, que prioriza o cumprimento dos mandamentos de Jesus! Eu apoio a Marcha da Evangelização, formada por aqueles que cumprem a Grande Comissão (Mc 16.15; Mt 28.19). Aliás, já pensou se aqueles milhares — milhões, para os ufanistas — de evangélicos que marcharam em São Paulo fossem como os crentes da igreja primitiva (At 8.4), os quais “iam por toda parte anunciando a palavra”?

A Marcha para Jesus, verdadeiramente, não é uma passeata-show, com música, dança, faixas de apoio a “apóstolos” da teologia da prosperidade e do triunfalismo, além de desfile de celebridades do mundo gospel. Não! A Marcha do
Senhor dos Exércitos é formada por soldados de Cristo que pregam diariamente o seu santo evangelho, combatem contra o pecado, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé (Hb 12.1,2).

Estou convencido de que a Marcha para Jesus verdadeira não é composta de pessoas que determinam, decretam, profetizam vitória e se comportam como se quisessem mostrar para todos que são elas as pessoas mais especiais deste mundo. Não! A Marcha para Jesus — a que faz jus a este título —, a despeito de não ser percebida pelos meios de comunicação, é o caminhar diário dos verdadeiros cristãos que pregam a palavra da cruz e perseveram no evangelho de Cristo.

Eu apoio a autêntica Marcha para Jesus e participo diariamente dela, a qual, em resumo, é o caminhar em amor, pela fé, em novidade de vida, dos salvos em Cristo que andam como Ele andou (1 Jo 2.6). Sim, graças a Deus, eu faço parte desse grande exército que, à semelhança do Senhor, está fazendo o bem, porque Deus é com ele (At 10.38).

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

Fonte: http://cirozibordi.blogspot.com
4 de nov de 2009

Um dia na marcha para Gezuis

A imagem acima é do que restou de uma das duas faixas que foram estendidas durante a Marcha para Gezuiz. Terminou o dia rasgada, manchada, amassada, mas cumpriu o seu papel para a glória do Senhor.

Vamos ao início, senta que lá vem a história deste dia! (desculpem-me pela falta de fotos e de qualidade dos vídeos, mas minha câmera digital ainda está sob o impacto da “unchão” da Expomamom e não funcionou de novo hoje).

A primeira grande batalha contra os gigantes aconteceu na estação de metrô Sé, onde embarcamos rumo ao metrô Tiradentes. Parecia o apocalipse!!! A estação lotada como nunca vi, além do grito de guerra ensurdecedor dos fiéis, a maioria jovens, mas também muitas crianças – inclusive de colo. Na hora de embarcar no vagão não houve escolha, fomos literalmente empurrados para dentro. Todo o mundo queria entrar junto e ao mesmo tempo, parece que ninguém conhecia aquela lei da física onde dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço. Enfim entramos, mas ainda restava sair de lá.

http://www.youtube.com/watch?v=rYC42vyQzag (o inferno no Metrô)

A saída do vagão foi outra luta. Também fomos empurrados para fora (se alguém caísse com certeza seria pisoteado sem dó), e ouvi de um senhor idoso uma frase que expressou bem tudo aquilo: “Quanta selvageria!”

Subir a escada e chegar até as catracas foi mais uma luta, e sair para fora da estação só pela misericórdia. Mas saímos, e lá fora nos encontramos com os outros protestantes: o Júlio Cesar, a Maíra, o Diogo (que deixou sua filhinha recém-nascida e sua esposa na maternidade para participar), o Vitor Cid, o Laudinei e o Pablo (que filmou todo o movimento, fazendo entrevistas, e que editará tudo num documentário que disponibilizará ainda nessa semana). No total, éramos 8 contra um exército de cerca de 1,5 milhão de pessoas.

Estávamos na “concentração” da Marcha. De um lado, o trio-elétrico do Apóstolo Hernandes, com figuras como o Senador Crivella, o Pr. Marco Feliciano e o Pr. Jabes de Alencar. Do outro, uma van da Rede Gospel. E onde estávamos, uma equipe da Rede Gospel filmando os fiéis. Claro, estendemos nossa faixa bem na frente da filmagem, e isso suscitou gritos de “vocês são da Globo?”, “fora Rede Globo”, e vários braços levantados no intuito de esconder a faixa. Já estávamos incomodando.

http://www.youtube.com/watch?v=YgVL1wXqqAI

E a Marcha começou. Ficamos estrategicamente esperando a passagem do primeiro trio, o dos Hernandes. Foi lindo ver o Apóstolo olhando fixamente para nossas faixas e o cartaz do Júlio (vai ver, a princípio pensou que fosse alguma expressão de puxa-saquismo), e depois se voltar para o resto da multidão. Não só o Apóstolo, mas todos do trio puderam ler as faixas. E passamos a marchar atrás do trio-elétrico, em meio à multidão.

http://www.youtube.com/watch?v=EIVzRbRbKOU

Durante a caminhada recebemos manifestações de todos os tipos. Meu marido ganhou uma rasteira gospel, jogaram água na gente, jogaram garrafas que acertaram as faixas e as rasgaram, porém sem grandes danos. Pensei que fôssemos receber sapatadas, mas os mais apostólicos não foram tão doidos assim.

http://www.youtube.com/watch?v=Bd_RE6vPDXU

Uma das situações mais inusitadas aconteceu com o Diogo. Como já disse, ele é “recém-papai”. Não é que lançaram contra ele uma frauda, e USADA???? Gente, foi um ato profético!!! Sorte que o Diogo estava esperto, senão voltaria com outras marcas do evento.

Também recebemos muitas manifestações de apoio. Um rapaz perguntou onde poderia comprar a camiseta, pessoas vieram nos parabenizar pelas frases e pelo protesto. Por incrível que pareça, havia vida pensante naquele lugar.

http://www.youtube.com/watch?v=__mNm_sd0Qo

Já havíamos andado por volta de 1:30h, quando nosso grupo se dividiu por conta das entrevistas que o Pablo estava fazendo. Quem estava na frente parou num canto da rua até que os demais chegassem. Santa providência!!! Era um local onde havia um canteiro cheio de terra, um lugar mais alto. Subimos nesse canteiro e estendemos nossas faixas, e de lá toda a Marcha pode nos ver, tipo desfile de escola de samba passando na frente da comissão julgadora (o exemplo parece estranho mas não é, as músicas que tocavam na Marcha iam do sambão ao axé-quase-funk-gospel). E aí a coisa pegou.

Depois do trio dos Hernandes, passou um segundo trio. Esse tinha um bispo da Renascer no microfone. Quando ele passou por nós, leu nossa faixa: “Voltemos ao Evangelho puro e simples”, mas não leu a segunda frase (o $how tem que parar) por motivos óbvios. Esse trio passou no clima de oba-oba, mas as pessoas que vinham atrás começaram as manifestações contrárias, com longas vaias à nossa atitude.

O terceiro trio a passar, quando leu nossas faixas, ficou indignado!!! “Quem tá fazendo $how aqui? Que $how que nada!”. E puxou o grito de guerra contra nós, repetido por todos os marchadores: “fariseu, fariseu, fariseu”. Os apostólicos mais exaltados jogaram mais água na gente, o que agradecíamos de coração, pois o calor estava insuportável – o sol estava a pino e nossas camisetas pretas não ajudavam nem um pouco. Os gritos iam mudando com o passar do tempo: “uuuuhhhhh!”, “ih, fora! Ih, fora!”, “vão fazer a marcha de vocês”, “seus hereges”. Tivemos componentes chamados de “Judas” e de tudo quanto é nome.

Passaram o quarto, quinto, sexto trios, e as manifestações contrárias se repetindo. Uma mulher gritou “nós somos do dinheiro mesmo!”. Uma bispa num trio-elétrico disse para rasgarem as faixas, mas alguém do lado dela fez sinal para que não fizessem isso. Teve gente inclusive que se indignava quando lia o versículo em nossa camiseta, como se aquilo não existisse na Bíblia deles. Mas houve também quem concordasse conosco – até tiraram foto com a gente. Algumas pessoas vieram conversar, interessados no movimento. Não só nós achamos que o $how tem que parar.

Também fomos abordados por veículos de imprensa. Repórteres da Folha de São Paulo e do Estado de São Paulo entrevistaram integrantes do protesto. Éramos apenas 8, mas Deus não nos fez invisíveis naquele lugar.

Enfim, toda a multidão passou por nós. Nossas camisetas foram muito fotografadas, mas também fomos bastante insultados. Particularmente eu estava muito feliz e triste ao mesmo tempo: feliz pela oportunidade que Deus me deu de estar ali com os irmãos, defendendo o Evangelho de Cristo; triste por ver uma multidão tão grande de pessoas, que se acham salvas por terem um dia confessado Jesus como seu Senhor e Salvador, mas que O trocam, por ignorância ou mesmo ambição, pelos ídolos de pedra e de carne e osso, que se alternariam em discursos no palco final da Marcha. Não fomos lá, pois consideramos que poderia soar como uma provocação da nossa parte, e em meio à multidão ninguém sabe o que poderia ocorrer.

Mas glória a Deus, pois a missão foi cumprida. Sinceramente não esperávamos nem metade da repercussão que o movimento obteve, e por isso glorificamos sinceramente a Deus por nos ter colocado naquele lugar. Sabemos que muitos dos que nos insultaram o fizeram por terem lido as mensagens das faixas e das camisetas, e sabemos também que no tempo certo o Espírito Santo de Deus trará essas mensagens à memória e os levará a buscarem e a compreenderem a verdade do Evangelho de Cristo. Infelizmente isso não acontecerá com todos, afinal a porta é estreita e as vantagens desse mundo seduzem muitos corações, mas aqueles que estão no engano por ignorância, esses serão trazidos à luz pelo Senhor.

Sinceramente? É muito bom servir a Deus, mesmo que isso signifique ser odiado pelos homens. Como diria o Apóstolo (de verdade) Pedro:

Mais importa obedecer a Deus do que aos homens. – At 5.29

Fonte:http://estrangeira.wordpress.com/

3 de nov de 2009
Related Posts with Thumbnails

Recentes

Comentários

+Comentados

Widget UsuárioCompulsivo

Sacrificar-se em favor de quem nem conhecemos, vencendo o mal com o bem
BlogBlogs.Com.Br